Publicado em 1 outubro 2013

Ainda há quem tenha restrições e um certo receio quando se fala em cloud computing, por mais que essa seja a tendência de um futuro muito próximo. Alguns questionam o por quê e quando é a hora certa para implementar o sistema em uma empresa.

Em primeiro lugar, é preciso entender que virão mudanças pela frente. Em tradicionais empresas, muitos funcionários já estão acostumados e acomodados com seus sistemas de trabalho e tem certa restrição quanto a novas maneiras de produzir no serviço. Estar sempre aberto a novas possibilidades é importante para que seja implementado um sistema de trabalho como a cloud computing.

Entendendo as mudanças, o próximo passo é fazer análises internas e prospectar de que forma os recursos da computação em nuvem vão contribuir para a empresa se destacar das demais e se posicionar à frente dos concorrentes, seja diminuindo os custos, otimizando tempo etc. Além disso, as análises internas são fundamentais para a empresa saber qual será o melhor modelo de cloud computing a ser implementado.

Concluído esses processos, fica a cargo da empresa decidir quando deve implantar o novo sistema. É fundamental a empresa diagnosticar se todos os funcionários estão preparados para o processo, pois a implementação envolve mudanças culturais.

Essa é uma questão que varia de empresa para empresa, as estratégias adotadas serão específicas para cada organização.

[title type=”h2″ color=”black”]Dados apontam crescimento[/title]

Segundo estudos da empresa IDC , o Brasil aparece como o país que mais utiliza a cloud computing na América Latina. Ao todo, 18% das médias e grandes empresas utilizam a tecnologia no país.

O Brasil destaca-se como carro-chefe e, dentre os demais países da América Latina, 14,5% tem ou planejam usar a tecnologia. Os números comprovam que, ainda que com certa cautela, o país vê com bons olhos a utilização das novas tecnologias em favor de melhorias no serviço.

No entanto, apesar de despontar como um dos principais adeptos a computação na nuvem, o país fica para trás quando a comparação é feita em nível mundial. Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 55% das médias e grandes empresas já utilizam algum tipo de serviço cloud. A Europa também é outra que segue firme, aproximadamente 40% das empresas adotaram a tecnologia.