Publicado em 6 julho 2017

Durante a implementação de um sistema novo, por vezes, o plano é feito para cumprir com total foco apenas a parte funcional do projeto. Com esse pensamento, a migração de dados normalmente é considerada somente uma etapa simples de um processo maior.

Cometer esse engano — tratando um procedimento complicado como a migração como algo de execução fácil — provavelmente trará efeitos desastrosos para qualquer projeto e muita dor de cabeça para os responsáveis.

Buscar mais conhecimento sobre essa tarefa e conseguir empresas especializadas para sua aplicação é uma premissa para garantir o sucesso da atividade.

Análise técnica

Muitas das peculiaridades da migração de dados — como dados que vão para o novo sistema e necessitam de tratamentos e transformações — necessitam da criação de uma estratégia que cubra todos os pontos sobre como funcionará esse empreendimento.

Com uma estratégia consistente, uma análise técnica apurada deve ser feita para que seja possível mensurar quais ações devem ser tomadas. Pelo levantamento dos requisitos será encontrada a prioridade.

Migração dos dados

Com o desenho dos requisitos feito com qualidade, chega-se ao momento de efetivamente realizar a migração. O ponto de maior atenção deve ser na comunicação rápida de problemas e soluções encontrados, para que a agilidade na resolução seja cada vez mais eficiente, assim como o processo empírico de aprendizagem.

Não se pode deixar de lado a fase de testes da migração. Nessa parte devem ser envolvidas pessoas com grande conhecimento do negócio, para que os problemas sejam reportados com mais consistência e perspectiva mais abrangente.

Formas de realizar a migração de dados

Apesar de uma migração ser interativa em sua natureza, existem algumas formas de realizá-la que se adequam melhor a cada cenário existente. Vejamos três delas agora:

1. Migração de dados incremental

A migração incremental é feita separando as etapas por temas específicos. Essa forma é muito propícia quando há dependência de informações de uma parte para outra que será migrada posteriormente.

Quando há um prazo considerável a ser cumprido, ela se torna uma boa estratégia, pois é possível ter maior controle das informações migradas e da integridade do processo como um todo.

2. Migração de dados paralela

Quando não há dependência dos dados entre si, é possível colocar equipes trabalhando simultaneamente. Essa forma de migração é chamada de paralela.

O maior ganho usando esse método é em tempo. Entretanto, o controle do processo deve ser feito de forma muito mais rigorosa porque, se ocorrerem problemas, existe a possibilidade de se perder ou refazer muito do trabalho já realizado.

3. Migração para a nuvem

Essa é seguramente a forma mais eficiente e completa de migrar os dados, trazendo benefícios em curto e longo prazo para a organização.

A acessibilidade das informações, a segurança e a infraestrutura de primeira qualidade são algumas das vantagens conquistadas quando se migra para o ambiente da nuvem.

As soluções da Google, por exemplo, trazem uma gama de recursos e integrações que facilitam o trabalho de uma forma tremenda. Com o Google Drive é possível manter arquivos de qualquer fonte e tipo armazenados e organizados de maneira intuitiva para que qualquer um que tenha permissão os acesse sem dificuldades.

Outra ferramenta que traz mais organização e aumento de produtividade é o Gmail, com seu controle robusto de e-mails e contatos. É possível arrumar o correio eletrônico por diversos quesitos, como assunto e prioridade. Também é possível criar diversas regras para automatizar o processo de catalogar e-mails e contatos de forma totalmente personalizada.

Se uma migração de dados não é feita de forma muito bem planejada, com certeza ela pode se tornar a pedra no sapato durante um projeto.

O conhecimento dessa atividade e das maiores vantagens do mercado atual, como usar a nuvem, assim como se assegurar de que a equipe possua pessoas competentes no trato de informações migradas, é de extrema importância para alcançar o sucesso nessa empreitada.

Não deixe de nos seguir nas nossas redes sociais (FacebookLinkedInTwitter e Google Plus) para ficar por dentro de tudo o que acontece no universo da tecnologia.

QI_CTA_ShadowIT

Leia também: