Publicado em 21 setembro 2017

A tecnologia de armazenamento em nuvem já deixou de ser um luxo e passou a ocupar um espaço obrigatório em qualquer empresa.

Com esse recurso, é possível compartilhar arquivos com toda a equipe, acessá-los remotamente e trocar exemplos de materiais produzidos com clientes.

Se você pretende adotar essa solução, provavelmente terá que escolher entre uma das principais ferramentas: o Google Drive ou o OneDrive.

Apesar das duas ferramentas possuírem características semelhantes, ambas possuem suas particularidades. Algumas são mais adequadas para determinadas demandas do que para outras, por exemplo.

Para esclarecer melhor o tema, trouxemos aqui 4 aspectos de comparação que devem ser levados em conta ao escolher o Google Drive ou o OneDrive. Confira:

1. Tempo de download e upload

A velocidade com a qual as informações são transferidas em um negócio faz toda a diferença para a produtividade da sua equipe. Se é necessário esperar muito para obter ou enviar um arquivo ou receber feedback com relação a um produto, boa parte do tempo útil daquele colaborador será perdido.

Em uma comparação feita pelo Principled Technologies, o Google Drive foi objetivamente o vencedor nesse quesito. Com testes feitos em múltiplas plataformas de acesso, tanto em aparelhos móveis quanto notebooks e desktops, o rendimento foi de 50% a 70% superior, tanto para download quanto upload.

gsuitcollab-03 gsuitcollab-04

 

2. Espaço de armazenamento

Outro fator chave que conta na escolha do Google Drive ou OneDrive é o quanto de espaço está disponível para cada plano de assinatura. Por mais que os serviços ofereçam uma boa quantidade de dados gratuitamente (15 GB e 5 GB respectivamente), uma empresa pode precisar de muito mais do que isso ao longo do ano.

A relação custo/benefício do armazenamento pago varia de acordo com o volume escolhido para aquela ferramenta. Hoje em dia, é possível obter assinaturas de 10 TB ou mesmo de armazenamento ilimitado.  Porém, é importante considerar a forma de cobrança. O Google Drive cobra valores mensais pelo espaço que disponibiliza, mas o acesso pode ser ilimitado. Já o OneDrive faz a cobrança por usuário ativo, o que pode sair mais caro ou barato, dependendo do tamanho da organização.

3. Proteção de dados

Esse é um ponto muito importante, especialmente com a quantidade de crimes virtuais existentes hoje em dia. Ter uma solução de armazenamento em nuvem sem os devidos protocolos de segurança pode facilmente botar tudo a perder.

Tanto a ferramenta do Google quanto a da Microsoft possuem uma segurança sólida, com firewall e camadas de criptografia. E como ambas as empresas estão sempre atualizando seus protocolos de segurança, é de se esperar que estejam cada vez mais seguras. O Google Vault, por exemplo, é uma das formas mais práticas e eficientes de gerenciar contas de e-mail empresariais.

4. Funcionalidades extras

Se a função principal do sistema de armazenamento está sendo cumprida, é interessante que hajam outras vantagens envolvidas. Por isso, cada solução oferece serviços complementares.

O Google Drive é campeão em quesito de acessibilidade. É possível distribuir permissões de acesso facilmente, fazer downloads e uploads de qualquer máquina, entre outras praticidades que cabem melhor em um ambiente de trabalho muito dinâmico. A assinatura anual OneDrive oferece o pacote Office 365 atualizado, com acesso aos seus programas também de edição online, mas que exigem instalação de plugins.

Agora que você conhece alguns critérios, pode decidir se é melhor optar pelo Google Drive ou pelo OneDrive. Quer mais dicas para potencializar o efeito do armazenamento em nuvem no seu negócio? Então veja nosso artigo sobre organização de arquivos e documentos.

QI_CTA_GuiaGdrive

Leia também: