Publicado em 15 outubro 2019

Atualmente, a tecnologia da informação ocupa posição de destaque no ambiente corporativo. Não apenas como ferramenta para automação de processos, a TI mostra-se essencial também como aliada do planejamento estratégico das empresas e apoio na cadeia produtiva.

Nesse contexto, a gestão dos ativos de TI surge como forma de alcançar o máximo dos recursos tecnológicos, com redução de custos e aumento da produtividade. Para obter o maior retorno com essa tarefa, é recomendável seguir alguns padrões e técnicas. A seguir, saiba quais são as melhores práticas para gestão de ativos de TI. Boa leitura!

1. Faça um inventário dos ativos de TI da sua empresa 

Naturalmente não é possível fazer a gestão de ativos de TI sem saber exatamente quais são eles. Faça um mapeamento completo dos recursos da instituição, mapeando os itens que possuem relação entre si, quais exigem controles específicos de segurança, aqueles que são críticos para o funcionamento dos serviços e seus respectivos valores.

Uma dica: quando se fala em ativos de TI, é comum vir à mente a infraestrutura de hardware, incluindo computadores, impressoras e outros equipamentos. Embora eles sejam relevantes, é fundamental incluir no inventário as licenças de software da empresa. Não negligencie esse aspecto, pois em boa parte dos casos esses ativos possuem papel substancial para a continuidade do negócio.

2. Automatize alertas

Uma das boas práticas mais difundidas para gestão de ativos de TI diz respeito à notificação acerca de eventos com a infraestrutura. Esse processo tem como objetivo garantir a continuidade do negócio, reduzindo ao máximo eventuais tempos de parada na produção e indisponibilidade dos serviços.

A orientação é que sejam criados alertas automáticos para que os responsáveis pelas soluções sejam imediatamente notificados e possam atuar de forma ágil e dinâmica. Note que a estrutura de suporte aos serviços também precisa ser configurada adequadamente, garantindo que os profissionais consigam resolver os problemas e, assim, façam valer os alertas recebidos. 

3. Dê atenção às licenças de software 

Como já mencionado, é natural que os gestores destinem recursos – financeiros e intelectuais – aos equipamentos de TI, em detrimento das soluções de software utilizadas pela empresa. Uma boa gestão de ativos de TI, no entanto, pressupõe atenção especial às licenças de uso, preservando assim a integridade das soluções de TI.

Com relação a essas licenças, é preciso assegurar que todos os colaboradores que utilizam determinado software possuam essa credencial. Certifique-se também de incluir licenças adicionais, de acordo com o planejamento estratégico e previsão de ampliação dos serviços ou do quadro de profissionais, quando for o caso. Tenha em conta que aquisições emergenciais, via de regra, são mais dispendiosas.

Além disso, analise o inventário dos ativos para identificar licenças excedentes. Não é raro que um software seja usado em determinada etapa do ciclo de vida de um projeto e depois não seja mais necessário. Nesse caso, é possível negociar com fornecedores e otimizar o uso de licenças como forma de reduzir custos e aumentar a efetividade dos ativos.

4. Invista na capacitação dos colaboradores 

Uma gestão eficiente pressupõe o bom uso dos ativos de TI. Por isso, um dos fatores determinantes do sucesso nesse processo é contar com um quadro de colaboradores que consiga obter o melhor retorno na utilização desses ativos.

Ainda que a capacitação do corpo de profissionais da empresa não pareça ter relação direta com a gestão de ativos de TI, lembre-se que os resultados proporcionados pela tecnologia só podem ser obtidos com seu uso correto e adequado. Por isso, invista em treinamentos relacionados com as ferramentas de hardware e software, além daqueles que promovam os valores da organização.

5. Conte com bons fornecedores

Esse é um fator ignorado por algumas empresas, um erro que se mostra bastante caro com o tempo. Quando mencionamos “bons fornecedores”, não estamos falando apenas de preço e condições comerciais. 

Ainda que a questão financeira seja importante, não deve ser o único critério na concretização de parcerias de negócio. Em especial quando se trata de software e serviços, dê preferência para contratar fornecedores que sejam certificados pelos grandes players do mercado. Que sejam ao mesmo tempo sejam inovadores e possuam experiência no mercado e que consigam integrar as soluções de software com implementação, capacitação e acompanhamento.

É mais importante para sua empresa ter um parceiro que participe dos projetos em sua totalidade, inclusive atuando como consultoria, promovendo assim o comprometimento com o processo completo.

Nesse post, apresentamos algumas das melhores práticas para gestão de ativos de TI. São as principais, embora existam outras que a maturidade na gestão permitirá à sua empresa adotar. 

Tem dúvidas sobre a gestão de ativos de TI? Quer contar com ajuda especializada no assunto? Entre em contato com nossa equipe de consultores.