Publicado em 12 dezembro 2018

Apontada como uma das principais vantagens da cloud computing, a escalabilidade é um conceito presente na vida de técnicos e gerentes de TI que sabem a importância de um sistema com total flexibilidade para expansão. Na Pesquisa Global CIO 2018, publicada pela Deloitte, 75% dos entrevistados indicaram a escalabilidade como fator primordial para a adoção dos sistemas e servidores em nuvem.

Mas, afinal o que significa escalabilidade?

A escalabilidade se refere a capacidade de ampliar de forma ilimitada o armazenamento de toda a infraestrutura, softwares e servidores das empresas em plataformas em nuvem, como o Google Cloud Platform. Diferente do modelo tradicional de data centers que demanda um alto investimento para expansão física dos serviços, com a cloud computing a expansão ocorre de modo automático, conforme a necessidade da empresa. Não à toa, o conceito de escalabilidade está atrelado a outra característica básica da nuvem: a elasticidade.

Este princípio se refere a capacidade que os sistemas em nuvem têm de aumentar e reduzir a infraestrutura digital utilizada para o armazenamento dos dados, de acordo com a demanda do empreendimento. Assim, se a empresa tiver períodos específicos de maior acesso, não será necessário investir na ampliação de uma infraestrutura física, com cabos, máquinas, gerador e outros equipamentos que depois ficarão ociosos. Com a elasticidade da cloud computing, a empresa paga apenas pelo que for usado, não tendo limites para ampliação e fornecimento de infraestrutura digital.

Vale lembrar que, o responsável por controlar tudo isso é o provedor da plataforma, como a Google. Assim, ao invés de ter um controlador 24 horas por dia ao lados das máquinas de data centers, na nuvem existem centenas de profissionais especializados que ficam encarregados de atender e administrar de modo seguro, as necessidades das empresas.

Veja como a escalabilidade e a elasticidade da nuvem contribuem para ampliar a vantagem competitiva das empresas, reduzir custos e ampliar a segurança das organizações.

Escalabilidade e elasticidade: princípios fundamentais para a transformação digital

De forma objetiva, a escalabilidade da nuvem permite que as empresas economizem recursos que seriam empregados na ampliação da infraestrutura física dos data centers. Esses valores podem ser direcionados para ações estratégicas que atendam os objetivos do negócio no contexto da transformação digital. A otimização financeira e da mão-de-obra permite que os empreendimentos ganhem mais flexibilidade para desenvolver projetos inovadores e soluções de automação dos processos de trabalho, que ampliam a maturidade digital dos negócios.

Ademais, elasticidade e a escalabilidade são importantes para as empresas pois aumentam a capacidade de operação e a qualidade dos serviços prestados aos consumidores finais. Longe de ser uma tendência de mercado, a escalabilidade em nuvem é uma necessidade imediata e irrevogável para os empreendimentos que pretendem crescer rapidamente em um cenário cada vez mais competitivo. Uma prova disso é que diversas empresas mundiais que têm se destacado internacionalmente nos últimos anos, como o Spotify, estão migrando para a nuvem da Google.

No caso do Spotify, que hoje é o maior empreendimento de streaming musical do mundo, a escalabilidade foi um aspecto decisivo, ao lado da redução de gastos para a expansão os negócios. Na reportagem Spotify moves itself on to Google Cloud, publicada pelo Wired, o vice-presidente de engenharia da organização Nicholas Harteaus, indica que a Google e outros serviços de cloud computing operam com uma escalabilidade muito maior do que os data centers utilizados pela empresa, potencializando a economia dos negócios.

Ficou com alguma dúvida sobre a escalabilidade na nuvem? Deixe seus comentários e acompanhe as nossas publicações aqui no Blog da Qi Network e saiba mais sobre infraestrutura na nuvem e conceitos essenciais dos sistemas de cloud computing.