Publicado em 14 julho 2016

Manter-se produtivo não é tarefa das mais fáceis. Para professores, além das horas em sala de aula — aplicação de provas, avaliação de apresentação de trabalhos, exposição de matérias — são gastas outras tantas horas na preparação e correção das atividades. As inúmeras tarefas resultam em cansaço extremo e falta de tempo para o lazer. E, assim, o ritmo e a qualidade do que é ensinado são afetados.

Pensando nisso, reunimos, a seguir, algumas dicas para que os professores possam aumentar a produtividade no trabalho. Confira!

1. Organize-se

Dia produtivo

A organização é o primeiro passo para ser tornar um professor mais produtivo. Quando você organiza suas tarefas, torna possível estabelecer uma rotina, bem como aproveitar as horas de folga sem culpa.

Ao contrário do que se pensa, estabelecer uma rotina proporciona mais tempo livre. Como? Funciona assim: quando você mapeia todas as suas tarefas e atividades, estabelecendo o horário que cada uma delas será realizada, você consegue saber também quanto tempo terá para o lazer.

Uma das melhores ferramentas tecnológicas para auxiliar os professores nessa empreitada é o Google Agenda. Com ele você poderá:

  • Marcar e visualizar todas as suas atividades em um só lugar;
  • Receber lembretes diários de cada uma das suas tarefas;
  • Compartilhar com seus alunos e outros professores, eventos e datas importantes (reuniões, entrega de trabalhos, seminários, etc);
  • Visualizar seus compromissos de forma global, adiantando-se a possíveis problemas, como semanas com sobrecarga de tarefas e, assim, optar por não marcar mais atividades nesse período.

2. Prepare as aulas antecipadamente

Tenha planos de aula. É claro que cada professor possui sua própria dinâmica em sala, mas é fundamental que essa dinâmica seja pensada antecipadamente. Isso porque, ao montar um plano de aula, o professor:

  • Conseguirá definir exatamente o objetivo da aula e torná-la mais proveitosa;
  • Evitará dispersões, iniciadas por falas ou atividades que fogem do tema proposto;
  • Planejará atividades que reforçarão o conteúdo ensinado e estimularão a participação ativa dos alunos.

Para a preparação do conteúdo, o professor pode lançar mão do Google Acadêmico. Essa ferramenta permite pesquisas aprofundadas nas mais diversas áreas (literatura, matemática, biologia, história, etc).

Quando o conteúdo da aula estiver pronto, se você quiser compartilhá-lo com seus alunos, para que cheguem preparados e assim a aula renda mais, bastará lançar mão duas ferramentas: o e-mail ou o Google Docs. O primeiro já é amplamente conhecido, então vamos explicar o segundo.

O Google Docs é uma ferramenta que possibilita o compartilhamento de arquivos com quem desejar. Ele permite, inclusive, que um documento compartilhado seja editado por todos os destinatários ao mesmo tempo. Viabilizando não só o contato entre professore e alunos, mas também entre os próprios professores, estimulando um ambiente de colaboração.

3. Escolha um método de ensino

Opte por metodologias que tornem os professores mediadores e os alunos mais participativos, autônomos, independentes e construtores do próprio conhecimento. Uma das melhores formas de fazer isso é engajá-los em atividades que utilizem ferramentas digitais, como:

  • Visitas virtuais a museus e localizações históricas;
  • Produção de vídeos sobre as matérias, com postagens no Youtube (reduzindo, assim, o tempo gasto em matérias explicativas);
  • Criação e alimentação de blogs que tratem do conteúdo ensinados em sala.

Essas são apenas algumas das possibilidades que tornam os professores mais produtivos. Lembre-se que o segredo é manter os alunos como aliados, por meio de ferramentas digitais que facilitam as tarefas e estimulam a autonomia e participação deles.

Gostou dessas dicas? Aproveite para compartilhá-las nas redes sociais e ajudar outros professores a conseguirem mais produtividade em seus cotidianos!

 

QI_CTA_GuiaIProfessores

Leia também: