Uma escola inovadora é aquela que acompanha os avanços tecnológicos e cria oportunidades para que eles façam parte da realidade escolar.

Muitas vezes, quando falamos de tecnologia, a primeira coisa que vem à nossa mente são as tecnologias inovadoras das quais temos acesso na atualidade, como os notebooks, tablets e celulares, dispositivos que fazem parte da rotina dos estudantes, professores e seus familiares.

Se pararmos para pensar no uso da tecnologia nas salas de aula, vamos perceber que são séculos de inovação e adaptação.

Um breve histórico da tecnologia nas salas de aula

A tecnologia se faz presente no meio educacional desde a criação da prensa (quando o acesso aos livros e escritos aumentaram) da criação da lousa (que aumentou a interação entre educador e aluno) e do mimeógrafo (como uma forma de otimizar tarefas em sala de aula), até o último século, no qual muitos processos de ensino foram automatizados com o uso de retroprojetores, de gravações de áudios e vídeo aulas e de fotocopiadoras automáticas.

Nas últimas décadas, o computador passou a ser uma ferramenta usada na escola como um meio para o ensino e aprendizagem. Desde então, a realidade escolar vem mudando. Softwares que apoiam o desenvolvimento de atividades em sala de aula foram e estão sendo criados.

Nos anos 90, a internet chegou com uma interatividade jamais vista, dando oportunidade às instituições de ensino para fazerem trabalhos à distância, assim como aulas mais interativas, criativas e que incluem o professor e estudante no mundo digital.

Dos anos 2000 até a atualidade, percebemos uma inserção cada vez maior e mais democrática em relação ao uso de tecnologia nas salas de aula, o que exige da escola uma busca por inovações todos os dias.

Mesmo depois de anos da inserção dos computadores no ensino, a escola ainda encontra dificuldades para usar a tecnologia nas salas de aulas. Por isso, neste post, procuramos levantar alguns erros que são comuns na prática dos professores que buscam modernizar suas aulas. Esperamos que, a partir do que será abordado aqui, os professores consigam melhorar a interação professor-tecnologia-aluno.

Falta de preparo no manuseio das aplicações

Usar a tecnologia no dia a dia é diferente dos usos dela no ambiente escolar. Profissionais não preparados para manusear ferramentas de ensino em computadores, tablets, entre outras tecnologias atuais, podem acabar tendo decepções que os desanimem e os façam optar por voltar aos métodos tradicionais.

O apoio de pessoas especializadas e/ou a criação de grupos de treinamentos e de estudos, podem ser uma opção para que os professores não passem por esse tipo de desilusão. É preciso capacitar os profissionais.

Uso de ferramentas inadequadas

Esse é um erro comum que acaba sendo consequência de erros anteriores, como a falta de preparo no manuseio e a pouca capacitação dos professores.

A escolha em relação a com quais ferramentas trabalhar não pode acontecer de forma aleatória e sem uma boa pesquisa que leve em consideração as pretensões do professor, as condições de trabalho da escola e as verdadeiras necessidades dos alunos.

As ferramentas escolhidas precisam ser mais que um meio de mudar o método escolar para algo moderno: é necessário saber os objetivos do uso delas na sala de aula.

Controle no acesso e no uso das tecnologias

Algumas vezes o uso da tecnologia nas salas de aula vai além das necessidades e acaba se tornando um vilão do ensino. Por isso, é preciso ministrar aulas que sejam interativas e que dêem ao aluno a oportunidade de refletir e opinar sobre algum assunto em conversas, seminários e discussões, em uma conexão com meios tradicionais de ensino.

O acesso às redes sociais pode tirar a concentração do aluno. Por isso, é importante limitar e esclarecer o que pode e o que não pode em relação ao uso de tecnologia nas salas de aula.

Agora que você já conheceu alguns dos erros mais comuns do uso da tecnologia nas salas de aula, seus trabalhos nunca mais serão os mesmos. Eles podem se tornar mais produtivos e com certeza, mais criativos e atrativos.

Quer se inteirar mais sobre o assunto? Que tal ficar por dentro de algumas dicas de como montar uma aula criativa usando tecnologia?