Publicado em 8 abril 2020

Os gestores enfrentam desafios constantes para manter os funcionários produtivos, motivados e engajados em busca dos melhores resultados. O desafio de reter talentos é crucial para o sucesso de uma gestão. Se houver perda de profissionais, a empresa também perde todo o investimento feito nos colaboradores e ainda precisa lidar com gastos de demissão, contratação, treinamentos e integração das novas pessoas.

Pensando em lhe ajudar na administração dos recursos humanos, separamos 6 exemplos de práticas indispensáveis para gerir pessoas e reter talentos. Confira!

Seis passos para reter talentos

 

1. Estipule metas. Alcançar objetivos é estimulante!

Funcionários que atuam sem metas desafiadoras não se sentem motivados a buscar bons resultados e acabam perdendo o estímulo, mesmo que sejam bons profissionais. Os objetivos estipulados permitem que o colaborador descubra novas habilidades e acredite mais em si mesmo.

Essa autoestima elevada proporcionada pelas metas faz com que a busca por crescimento seja contínua e que os resultados da empresa melhorem a cada dia. 

A empresa deve estipular metas, mas também deve proporcionar meios de alcançá-las. A falta de produtividade, ocasionada por processos manuais e lentos, podem prejudicar o desenvolvimento das atividades. Quanto menos produtivo for um profissional, menos chances terá de alcançar sua meta individual e de grupo. Investir em ferramentas que permitam ampliar a produtividade será fundamental para evitar isso.

 

2. Dê ênfase às conquistas do seu time para reter talentos

Agora que você já estabeleceu metas para seu time, que tal demonstrar a todos o quanto foi importante o desempenho de cada um? Quando o gestor reconhece o bom trabalho realizado, ele incentiva a busca por resultados futuros e aumenta a motivação, uma vez que os funcionários têm necessidade de reconhecimento para se sentirem valorizados.

As conquistas do time devem ser compartilhadas com toda a empresa, pois é importante que todos saibam quem são os colaboradores que estão conquistando bons resultados para o negócio. O profissional vai receber essa manifestação pública como uma homenagem. 

Entretanto, essa comunicação não pode se tornar algo que exige muito tempo do gestor. Do contrário pode entrar na lista de tarefas que serão deixadas para o outro dia. A comunicação deve ser ágil e prática

A comunicação é fundamental, pois a empresa que não sabe fazer uma boa gestão, certamente precisará lidar com a migração dos bons colaboradores para empresas que possam proporcionar essa valorização e motivação.

 

3. Invista em um ambiente descontraído, mas sempre profissional

Uma organização que deseja reter seus talentos e garantir que os colaboradores estejam motivados, precisa investir em práticas para manter o ambiente de trabalho descontraído, confortável e com o mínimo de conflitos possíveis.

O bom relacionamento entre os funcionários cria um valor a mais para a empresa na visão dos profissionais, pois o bem-estar e as amizades criadas fazem com que a jornada se torne menos cansativa e estressante.

Promover o engajamento entre os profissionais, por meio de uma cultura colaborativa, vai estimular a participação de todos nas ações em equipe. A empresa deve estimular o colaborador a compartilhar sua opinião e mostrar que ele está sendo ouvido. Os profissionais se sentem valorizados e motivados quando notam que há uma mudança real no ambiente em que trabalham por causa de suas opiniões. 

Outra forma de promover a descontração na empresa é tirando os profissionais de dentro dela por alguns dias. O home office é um modelo que tem sido adotado pelas empresas para proporcionar maior qualidade de vida aos colaboradores e também está proporcionando resultados positivos para os negócios. 

De acordo com a empresa de recrutamento especializado, Robert Half, houve um aumento no número de profissionais que fazem home office. Entre os anos de 2016 e 2019, o aumento foi de 47%. Com isso, o Brasil ocupa o terceiro lugar na lista de países que apresentaram aumento nos índices de trabalho remoto. 

O colaborador que faz home office uma ou mais vezes por semana, trabalha com mais tranquilidade, pois não há a tensão e o estresse do escritório. Além disso, em casos de reuniões ou treinamentos, o colaborador pode participar mesmo à distância, com o uso de ferramentas online, com áudio e vídeo. Os funcionários que trabalham em home office também podem atuar em tempo real na definição de projetos, elaboração de relatórios ou planilhas, por exemplo, colaborando com os projetos do time.

Isso tudo, é claro, amplia a disposição e o engajamento com os projetos da empresa.


Leia também Geração Millennial exige Investimentos em Ferramentas Digitais!

4. Aprenda a delegar funções

Delegar funções é uma prática benéfica tanto para o gestor quanto para seus funcionários. O gerente de setor que divide responsabilidades com a equipe consegue melhorar sua gestão de tempo e se empenhar em atividades importantes que levem ao crescimento da organização.

Já na visão do colaborador, a delegação de funções ajuda no crescimento profissional e valoriza o trabalho desenvolvido perante à empresa, trazendo, dessa forma, uma segurança quanto à estabilidade do emprego.

Esse processo, porém, não pode ser feito sem planejamento e orientação ao colaborador. O profissional deve ser comunicado que o gestor tem interesse em passar outras responsabilidades e consultado sobre o interesse em realizá-las. Do contrário, o colaborador pode sentir que está sendo sobrecarregado, sem nenhum retorno.

Além disso, é fundamental que o gestor preste todo o suporte necessário ao profissional no primeiro momento, compartilhando as informações sobre as atividades, centralizando as informações de forma que o profissional saiba onde encontrá-las, mantendo a comunicação e auxiliando o colaborador com as atividades que tiver dúvidas.

5. Crie um plano de carreira para reter talentos


O plano de carreira deve ser criado pelo gestor para motivar o colaborador a seguir carreira na empresa e buscar o seu crescimento. A maneira correta de realizar esse planejamento é alinhar os objetivos da organização às metas profissionais do funcionário.

Após estipulados os caminhos que o colaborador deve seguir para conseguir seu crescimento, o gestor deverá realizar o acompanhamento e reavaliar o plano conforme a necessidade.

Esse processo exige que o colaborador tenha suas expectativas bem alinhadas com as da empresa. Há casos em que o gestor vê potencial no profissional, mas percebe que ele não está totalmente preparado para assumir alguns cargos ou responsabilidades. 

Nesse caso, o gestor deve apresentar ao profissional quais os pontos em seu perfil que devem ser aperfeiçoados. Com base nessa avaliação, o profissional pode informar se tem interesse em construir uma carreira dentro da empresa. 

O passo seguinte é buscar recursos que promovam a capacitação desse profissional. Essa etapa pode envolver outros profissionais. Assim, é possível fazer o desenvolvimento da equipe como um todo. Os próprios gestores, especialistas em suas áreas, podem promover treinamentos ou buscar empresas técnicas para a mentoria dos profissionais.

 

6. Treine e desenvolva pessoas

A capacitação deve ser ofertada ao profissional de forma frequente, para atualizar seus conhecimentos e não só quando há um projeto de plano de carreira. 

Os treinamentos e oportunidades de crescimento que a empresa oferece a seus funcionários são extremamente valorizados para quem busca uma carreira de sucesso. Assim, além de contar com profissionais atuando nos mais altos padrões de qualidade, a organização terá como diferencial competitivo uma equipe engajada em busca do próprio crescimento e que sabe reconhecer os investimentos feitos.

A atualização dos profissionais, com relação ao uso e a implantação de novas ferramentas dentro da empresa, também é considerada como uma forma de treinamento. Sempre que um novo recurso for adotado, consulte o fornecedor sobre os treinamentos oferecidos para as equipes.

Quais são as práticas de gestão de pessoas que você utiliza em sua empresa? Compartilhe-as conosco aqui no blog!

Publicado originalmente em 3 janeiro 2017.

ampliar-produtividade-de-grandes-empresas